sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Prêmio de Pesquisa Emerald/CAPES - Edição 2015 na categoria Ciência da Informação



O Grupo de Pesquisa LEIA tem a honra de informar que o Projeto de Pesquisa Cor@gem: a interação entre adolescentes com fibrose cística, acessibilidade e a inclusão social no uso das tecnologias de informação e de comunicação
Drª Eliane Lourdes da Silva Moro - Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Dr. Paulo José Cauduro Marostica - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (HCPA-RS)
Drª Lizandra Brasil Estabel - Instituto Federal do Rio Grande do Sul- Câmpus Porto Alegre é o vencedor do Prêmio de Pesquisa Emerald/CAPES - Edição 2015 na categoria Ciência da Informação, como pode ser verificado no seguinte endereço:
http://www.capes.gov.br/…/4112015-Premio-Emerald-Capes-2015…

No dia 12 de novembro, em Brasília, será o recebimento do prêmio.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

CURSO TÉCNICO EM BIBLIOTECONOMIA EM EAD

Processo seletivo para o Curso Técnico em Biblioteconomia na modalidade EAD para o Instituto Federal do Rio Grande do Sul- Câmpus Porto Alegre

 

Acesse o Edital


Pólos:
Cachoeira do Sul: 30 vagas;
Canoas: 30 vagas;
Eldorado do Sul: 30 vagas
Erechim: 30 vagas;
Novo Hamburgo: 30 vagas;
Picada Café: 30 vagas;
Santana do Livramento: 30 vagas;
Santo Antônio da Patrulha: 30 vagas;
São Francisco de Paula: 30 vagas;
São Lourenço do Sul: 30 vagas.

sábado, 31 de agosto de 2013

CAPADHIA: CAPACITAÇÃO EM INFORMAÇÃO, ACESSIBILIDADE E DIREITOS HUMANOS

O Grupo de Pesquisa LEIA em breve realizará um novo Projeto:

Aguarde!

sexta-feira, 21 de junho de 2013

BIBLIOTECAS MUDAM VIDAS

BIBLIOTECAS MUDAM VIDAS
Declaração para o Direito das Bibliotecas
Conferência Anual da ALA, Chicago, dois de Julho de 2013.
 
No espírito da Declaração de Independência dos Estados Unidos e da Declaração Universal dos Direitos Humanos, acreditamos que as bibliotecas são essenciais para uma sociedade democrática. Todos os dias, em inúmeras comunidades em todo o nosso país e do mundo, milhões de crianças, estudantes e adultos utilizam as bibliotecas para aprender, crescer e alcançar os seus sonhos. Além de uma vasta gama de livros, computadores e outros recursos, os usuários da biblioteca se beneficiam do ensino especializado e orientação provida por bibliotecários e funcionários da biblioteca para ajudar a expandir as suas mentes e abrir novos mundos.
Nós declaramos e afirmamos nosso direito à qualidade nas bibliotecas públicas, escolares, universitárias e em especial, exortá-lo para mostrar com urgência o seu apoio ao assinar seu nome nesta Declaração pelo Direito das Bibliotecas.
1)                 Bibliotecas capacitam o individuo
Se o desenvolvimento de habilidades para ter sucesso na escola, na procura de emprego, explorando possíveis carreiras, ter um bebê, ou planejando a aposentadoria, as pessoas de todas as idades se voltam para as bibliotecas para obter instrução, apoio e acesso a computadores e outros recursos para ajudá-los a levar uma vida melhor.
2)                  Bibliotecas apoiam a alfabetização e aprendizagem ao longo da vida.
Muitas crianças e adultos aprendem a ler na escola e nas bibliotecas públicas por meio da hora do conto, projetos de pesquisa, leitura de verão, aulas e outras oportunidades. Outras pessoas vão à biblioteca para aprender as habilidades da tecnologia e das informações que poderão ajudá-los a responderem às suas dúvidas, descobrirem novos interesses, e compartilharem as suas ideias com outros indivíduos.
3)                 Bibliotecas fortalecem as famílias
As famílias encontram um ambiente confortável, espaço acolhedor e uma riqueza de recursos para ajudá-las a aprender, crescer e brincar juntas.
4)                 Bibliotecas é o grande equalizador
As bibliotecas servem pessoas de qualquer idade, nível de escolaridade, nível de renda, etnia e capacidade física. Para muitas pessoas, as bibliotecas oferecem recursos que de outra forma, não poderiam ter condições de obtê-los – recursos que eles precisam para viver, aprender, trabalhar e governar.
5)                 Bibliotecas constroem comunidades
As bibliotecas unem as pessoas, tanto pessoalmente como online, para conversas e para aprender e ajudar uns aos outros. As bibliotecas fornecem apoio para idosos, imigrantes e outras pessoas com necessidades especiais.
6)                 Bibliotecas protegem nosso direito de conhecer
O nosso direito de ler, buscar informações, e falar livremente não deve ser tomado como garantido. As bibliotecas e os bibliotecários defendem ativamente esta liberdade mais básica garantida pela Primeira Emenda.
7)                 Bibliotecas fortalecem nossa nação
O bem estar econômico e a boa administração da nossa nação dependem de pessoas que são alfabetizadas e bem informadas. As bibliotecas escolares, públicas, universitárias e especializadas apoiam esse direito básico.
8)                 Bibliotecas promovem o avanço da pesquisa e da erudição
O conhecimento cresce do conhecimento. Seja para fazer um trabalho escolar, buscando uma cura para o câncer, buscando um grau acadêmico, ou o desenvolvimento de um motor com combustível mais eficiente, os acadêmicos e pesquisadores de todas as idades dependem do conhecimento e da experiência que as bibliotecas e os bibliotecários oferecem.
9)                 Bibliotecas nos ajudam a entender os outros
As pessoas de todas as esferas da vida se reúnem em bibliotecas para discutir questões de interesse comum. As bibliotecas oferecem programas, acervos e espaços de reunião para nos ajudar a compartilhar e aprender com as nossas diferenças.
10)             Bibliotecas preservam a herança cultural da nação
O passado é a chave para o nosso futuro. As bibliotecas coletam, digitalizam e preservam documentos históricos originais e únicos que nos ajudam a entender melhor o nosso passado, presente e futuro.
---------

Nota: documento a ser divulgado pela American Library Association (ALA), em 2 de julho de 2013, por ocasião da sua Conferência Anual a ser realizada em Chicago (Illinois, US).
Murilo Cunha

terça-feira, 21 de maio de 2013

Conheça Sérgio Florindo, deficiente visual e frequentador da Biblioteca de São Paulo

"O mundo do deficiente visual é o mundo das ideias e do pensamento e é por essa razão que o livro traz o movimento para esse mundo", afirma Sérgio Florindo, 52 anos, deficiente visual e frequentador da Biblioteca de São Paulo.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Falta de incentivo da leitura no Brasil e o analfabetismo funcional

Falta de incentivo da leitura no Brasil, o analfabetismo funcional e a Lei da Biblioteca Escolar - Lei 12244/10