quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Feliz Natal e Próspero Ano Novo!


O Grupo de Pesquisa LEIA deseja um Feliz Natal e que em 2011 a esperança se renove e o bem prevaleça nas relações, transformado em gestos de solidariedade e paz.


sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Vídeo: trajetória 2010: Fórum Gaúcho para a Melhoria das Bibliotecas Escolares

Este vídeo foi apresentado no dia 10 de dezembro de 2010, no III FÓRUM NACIONAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS E ESCOLARES NATAL LUZ EM GRAMADO, para homenagear todos os parceiros da luta em prol da melhoria das Bibliotecas Escolares do Brasil.
Gostaríamos de destacar a grande parceria com o Sistema CFB/CRB, CRB10, Instituto Goethe, Ver e Bibliotecária Fernanda Melchionna, bibliotecários da Prefeitura de Porto Alegre e demais prefeituras participantes dos Fóruns, acadêmicos do Curso de Biblioteconomia da FABICO/UFRGS e do Curso Técnico de Biblioteconomia do IFRS - Campus Porto Alegre, bibliotecários, professores, entre outros.
Sem vocês não seria possível criar este vídeo para contar a trajetória de 2010.
Aos protagonistas.... o nosso muito obrigado ao som de "Eu sou do Sul"!




quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

III FÓRUM NACIONAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS E ESCOLARES NATAL LUZ EM GRAMADO

Biblioteca Escolar e a Magia da Leitura

III FÓRUM NACIONAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS E ESCOLARES NATAL LUZ EM GRAMADO

Data: 10 de dezembro de 2010

Local: Centro de Eventos da FAURGS

PROGRAMA

Manhã:

9h – Inscrições

9h e 30min – Abertura Oficial com autoridades – Prefeitura Municipal de Gramado, Secretaria Estadual de Educação, Secretaria Estadual de Cultura, CRB-10, CFB, Câmara Riograndense do Livro, FABICO/UFRGS.

Apresentação Artística – Xaraxaxá – Direção Lisiane Berti

10h e 30min – PAINEL I – Advocacy em defesa das Bibliotecas Públicas e Escolares – Nêmora Arlindo Rodrigues – Presidente do Conselho Federal de
Biblioteconomia.

11h e 15 min – Fóruns para Melhoria de Bibliotecas Escolares: a trajetória em 2010 – Bibliotecária Loiva Teresinha Serafini – Presidente do Conselho Regional de Biblioteconomia CRB-10, Profa. Dra. Lizandra Brasil Estabel – IFRS; Profa. Dranda. Eliane L. da Silva Moro – FABICO/UFRGS.

12h – Intervalo para Almoço

Tarde

13h e 15min – Apresentação do Grupo de Contadores de Histórias de Arroio dos
Ratos
13h e 30min – PAINEL II – Projetos de Leitura, periferia e inclusão social
- Escolas Municipais de Gramado. – Coordenadora Profa. Dra. Lisiane Pinto dos Santos; Bibliotecária Cláudia Zambelli Mezalira; Consultora Bibliotecária Eroni Kern Schercher.
- Cirandar – Bibliotecas Comunitárias de Porto Alegre – Aline Hernandes – ONG Cirandar/IC&A
- Biblioteca Amigos do Livro de Taquara – Relato de Experiência – Pintor Roberto Carlos Sampaio Guedes sobre a criação da biblioteca comunitária.

14h e 30min – PAINEL III
- Padrões para Bibliotecas Escolares – Profª. Dra. Bernadete Santos Campello – UFMG – Pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Biblioteca Escolar – GEBE – Estudo desenvolvido para efetivação da Lei Federal nº12.244/10 que trata da obrigatoriedade das bibliotecas escolares.

15h e 15min – Gestão do Conhecimento através do mapeamento de competências – Case CFB-CRB. Conselheira Federal Prof. Dra. Célia Regina Simonetti Barbalho.

16h – Sistema de Bibliotecas Escolares de Novo Hamburgo – Coordenação Prof. Leandro Lemes do Prado – Relato de experiência de implantação de serviços bibliotecários no Sistema Municipal de Ensino.

16h e 30min – “Bibliotecas públicas e escolares em Minas Gerais: ação fiscalizatória e iniciativas municipais” – Vice-Presidente do CRB-6, Bibliotecária Haieska Haum e Secretária do CRB-6, Bibliotecária Juliana Moreira.

17h – Encaminhamento de Propostas

18h – Encerramento do Evento.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Fórum é notícia no site da Câmara de Vereadores de Camaquã


Nesta sexta-feira (26/11) ocorreu no Cine Teatro Coliseu a 19ª Reunião do Forum Gaúcho sobre melhorias nas Bibliotecas Escolares em Camaquã. No encontro o mais importante assunto tratado foi sobre leitura, o Presidente do Legislativo Camaquense, Vereador Renato Dillmann, participou do evento representando a instituição. “Ler é a melhor maneira de encontrarmos um mundo diferente do que vivemos, através dela, podemos viajar sem sair do lugar”, disse Dillmann. A reunião que começou pela manhã também contou com a participação de professores e bibliotecários da Capital Gaúcha, que acompanharam atentamente a apresentação das escolas locais e apresentaram seus trabalhos.

Camila (acad. do Curso de Biblioteconomia da FABICO/UFRGS), Profª Eliane Moro, Andrelli (acad), Profª Lizandra Estabel e Sabrina (acad).

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Na Paraíba, deficientes visuais cobram regulamentação do livro


Jornal O GIRASSOL ***Matéria publicada em 23/11/2010.

Na Paraíba, deficientes visuais cobram regulamentação do livro acessível

"Não estamos pedindo que as editoras distribuam gratuitamente livros para os portadores de deficiência visual, apenas queremos que elas disponibilizem para a venda essas publicações no formato braile edigital, que são adequados para nós". O desabafo foi feito pela bibliotecária do núcleo de educação especial da Universidade Estadual da Paraíba, Ana Lúcia Leite [Especialista em Bibliotecas Escolares pela FABICO/UFRGS], ao cobrar a regulamentação da Lei do Livro,durante em entrevista no estande do Senado no 1º Salão Internacional do Livro da Paraíba.
Sancionada em 2003, a Lei 10.753 institui a Política Nacional do Livroassegurando ao cidadão, em seu capítulo I, o "pleno exercício do direitode acesso e uso do livro". Já no parágrafo único do artigo 2o, a lei fornece uma relação de itens que são considerados livros. Entre eles estão "os livros em meio digital, magnético e ótico para uso exclusivo de pessoas com deficiência visual" e os livros impressos no sistema braile.
Ana Lúcia explicou que, apesar da lei, as editoras não cumprem a determinação de oferecer os livros no formato apropriado para os cegos sob a alegação de que poderiam estar infringindo algum direito autoral. Por isso ela ressaltou a necessidade de essa legislação ser regulamentada o mais rapidamente possível. O bibliotecário e documentalista do setor braile da Biblioteca Central da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Josenildo Costa, apoiou a reivindicação. Ele também pediu aos senadores a aprovação de uma legislação que isente de impostos e crie subsídios para a aquisição de equipamentos que minimizem as desvantagens dos portadores de deficiência.
- Existem vários equipamentos que servem como importantes ferramentas de trabalho para os cegos, mas eles custam muito caro. Essa seria uma ajuda bastante significativa que o Senado estaria oferecendo aos portadores dedeficiência visual. Em Portugal o governo fornece muitos desses produtos sem cobrar nada. No Brasil infelizmente ainda não há uma política pública nesse sentido - lamentou Josenildo Costa.
Tanto Ana Lúcia quanto Josenildo são portadores de deficiência visual.Eles receberam, em nome de suas instituições, as publicações em braile do Senado. Além da Universidade Estadual da Paraíba e da Universidade Federal da Paraíba, também foram contempladas com as doações o Institutodos Cegos de Campina Grande, a Associação Paraibana de Cegos e a Escola Municipal Carlos Neves da Franca.
Representando a Escola Carlos Neves da Franca, a professora portadora dedeficiência visual Denise Karina Lopes Bezerra explicou que está trabalhando no desenvolvimento de um projeto de educação inclusiva na área de deficiência visual. Os livros doados pelo Senado foram Lei de Falências, Lei Antidrogas, Lei de Diretrizes e Bases da Educação, Legislação Desportiva, Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, O Velho Senado (Machado de Assis), Um passeio de Bonde (Artur Azevedo) e Eu Senadoro um Passeio (Ziraldo). (Informações da Agência Senado)

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Camaquã sedia 19ª Reunião do Fórum Gaúcho pela Melhoria das Bibliotecas Escolares

Fonte: Assessoria de Imprensa Prefeitura Camaquã

Camaquã será palco da 19ª Reunião do Fórum Gaúcho pela Melhoria das Bibliotecas Escolares no dia 26 de novembro no Cine Teatro Coliseu. O evento abordará o tema Abraçando a Biblioteca Escolar e contará com a participação de bibliotecários de toda a região. [Alunos do Curso Técnico em Biblioteconomia do IFRS, acadêmicos do Curso de Biblioteconomia da FABICO/UFRGS, bibliotecários, professores e comunidade em geral].
O evento é uma realização da Prefeitura Municipal de Camaquã através da Secretaria Municipal de Educação, e conta com o apoio da Afubra, CRB 10 e FABICO/UFRGS.

O encontro contará com a participação do escritor Jeferson Assunção no painel Biblioteca, Leitura e Integração Cultural e das professoras Dra. Lizandra Estabel e Dranda Eliane Moro e da Presidente do CRB-10 Loiva Serafini no painel Organização de bibliotecas escolares/aspectos técnicos, pedagógicos e de legislação. Haverá também apresentações artísticas e relatos de experiência do Projeto Abraçando a Biblioteca Escolar.

As inscrições gratuitas são limitadas em 200 vagas e podem ser realizadas pelos telefones: 51-3671-3496, 51-3671-8999 ou 51-3232-2880.



Programação
9h30min - Recepção
10h - Abertura oficial
Prefeito Municipal de Camaquã - Ernesto Molon
Presidente da Câmara Municipal - Renato Dillmann
Secretária Municipal de Educação - Marisa Chaves Albuquerque
Coordenadora da 12ª CRE - Ana Margaret Kalata
Presidente CRB10 - Loiva Teresinha Serafini

10h30min - Apresentação da Invernada Artística da EEEM Ana César
11h - Painel I – Biblioteca, Leitura e Integração Cultural com Jeferson Assunção (escritor)
12h – Almoço em Restaurante da Cidade
14h - Apresentação Artística - EMEF Érico Veríssimo
14h30min - Relato de experiência do Projeto “Abraçando a Biblioteca Escolar”, EMEF Boa Ventura Cardoso da Silva e EMEF Sepé Tiarajú
15h30min - Painel II - Organização de bibliotecas escolares/aspectos técnicos, pedagógicos e de legislação com a Prof. Dra. Lizandra Estabel, a Prof. e Bibliotecária Dranda Eliane Moro e a Presidente do CRB-10 Loiva Serafini
17h – Coffee e Encerramento
17h30min – Visita a pontos turísticos

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Menção Honrosa: Curso Mediadores de Leitura na Bibliodiversidade

O Grupo de Pesquisa LEIA e a Equipe de Coordenação do Curso Mediadores de Leitura na Bibliodiversidade, compartilha com os professores, tutores e participantes do Curso e a comunidade em geral o convite recebido da SEAD/UFRGS para homenagem e Menção Honrosa no Evento comemorativo dos 10 anos do Fórum EAD/UFRGS.
Publicamos abaixo o teor do convite encaminhado pela Equipe da SEAD.

Prezados professores coordenadores de cursos Modalidade a Distância,

Reconhecendo o seu comprometimento e dedicação ao trabalho acadêmico na área de Educação a Distância, é com grande satisfação que a SEAD/UFRGS convida-o(a) para receber Menção Honrosa pelo trabalho realizado. A homenagem terá lugar durante o evento de comemoração dos 10 anos do Fórum de EAD/UFRGS, a realizar-se no dia 17 de novembro(quarta-feira) às 14h30min, na sala Fahrion, 2º andar da Reitoria.
Salientamos que a entrega do documento Menção Honrosa realizar-se-á das 14h às 14h30min e que após o evento será oferecido um coquetel de confraternização.

Esperando contar com a sua presença, agradecemos antecipadamente.

Na terça-feira, dia 16 de novembro, a programação será divulgada na página da SEAD, disponível em
http://paginas.ufrgs.br/sead/
Atenciosamente,

Equipe SEAD

sábado, 6 de novembro de 2010

Leitura em Casa e na Escola....

Leitura em Casa e na Escola, por Dilan Camargo*

A literatura tem uma missão formadora, enquanto o conhecimento tem uma função conformadora. Um menino de dois anos e meio, de uma escola de Educação Infantil portuguesa, depois de ouvir a leitura de poemas por sua professora, e estimulado a se expressar, disse: “Se eu não existisse, eu ficava triste”. Essa criança, mesmo sem estar alfabetizada, foi capaz de criar um belo e profundo verso. Isso mostra o quanto já nascemos lendo e nos expressando diante da vida e do mundo. As crianças nascem e logo aprendem a ler as pessoas e objetos ao seu redor. Aprendem a interpretar fatos e emoções, principalmente em sua profunda interação afetiva com a mãe ou com sua cuidadora. Pais e especialistas em educação sabem a importância do estímulo linguístico na formação de uma criança. Este é passado aos bebês pela fala afável, pelas cantigas de ninar, e até mesmo por sons ininteligíveis, mas dirigidos à sua atenção. Para os maiorzinhos, o estímulo linguístico faz-se através da contação de histórias de encantamento, magia, mistério, medo, aventura. E da leitura de poesia, pois esta liberta a nossa capacidade de expressão.A leitura para as crianças, ou a leitura feita por elas mesmas, em casa ou na escola, não precisa de técnicas sofisticadas. Precisa apenas dela mesma, da leitura em si, do ato de ler um texto, de preferência em voz alta. Em alto e bom som. Pais e professores, quando forem ler para os seus filhos ou seus alunos, precisam apenas entregar-se, com alegria e arte, a esse momento único de comunhão humana entre gerações. Os adultos visitam a sua infância e as crianças aprendem a confiar no mundo adulto. Já a leitura feita pelas próprias crianças, em casa ou na escola, precisa apenas de um livro na mão e de muita imaginação na cabeça. Pode ser acompanhada de uma intermediação sensível e inteligente dos pais ou da professora, sem interferência nas formas e nos ritmos do ato de leitura de cada um, junto com um suave e lúdico encorajamento. Os educadores e os pais mais dedicados sabem o quanto é necessário, em todo o período da infância, seja nas famílias ou na educação infantil e nas séries iniciais, despertar, vivenciar, enriquecer e ampliar a capacidade linguística da criança. Esta vai se constituir num fundamento cognitivo determinante para o seu bom desenvolvimento em todas as etapas da sua vida e em todas as áreas do conhecimento. As crianças apresentam-se à vida e ao mundo com a sua imaginação, espontaneidade, pureza, percepção mágica e intuitiva, e com um repertório linguístico ainda pouco contaminado por outras linguagens empobrecidas de conteúdo e sentido. Estão abertas para a experiência e o aprendizado da língua viva, propiciada apenas pela boa literatura. Sempre é preciso lembrar a observação da professora Regina Zilbermann de que a literatura tem uma missão formadora, enquanto o conhecimento tem uma função conformadora. A harmonia e o equilíbrio entre ambas dá-se pela capacitação linguística das crianças, adquirida através da leitura literária, se possível, diária. A literatura, para grandes e pequenos, ensina-nos que uma vida simples e boa é sempre um caminho de aprendizado e não uma pista para se baterem recordes.
*Escritor, cientista político

Fonte: Zero Hora

sábado, 30 de outubro de 2010

Palestras: Fórum de Bibliotecas Escolares na 56ª Feira do Livro de Porto Alegre

No dia 29 de outubro, na 56ª Feira do Livro de Porto Alegre, foi apresentado pelas pesquisadoras do Grupo de Pesquisa LEIA o Plano Municipal do Livro e Leitura - Ações para sua implantação. A seguir, os links para as apresentações, em ppt, das palestras:

Plano Municipal do Livro e Leitura - Ações para sua implantação – com guia prático de implantação do PMLL
Profa. Dra. Lizandra Brasil Estabel (LEIA/FABICO/UFRGS e IFRS)
Profa. Dranda. Eliane L. da Silva Moro (LEIA/FABICO/UFRGS)
[Apresentação]

Projetos: como participar de Editais para obtenção de Recursos Públicos
Profa. Dranda. Maria do Rocio F. Teixeira (LEIA/FABICO/UFRGS)
[Apresentação]



quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Fórum de Bibliotecas Escolares na 56ª Feira do Livro de Porto Alegre

A 56ª Feira do Livro de Porto Alegre, considerada a maior Feira do Livro a céu aberto das Américas, inicia nesta sexta-feira, dia 29 de outubro,com a participação dos membros do Grupo de Pesquisa LEIA.

Dentre as atrações da programação da Feira está a realização do 18º Fórum Gaúcho pela Melhoria das Bibliotecas Escolares, a ser realizado na Feira do Livro em Porto Alegre, localizado na Área Infanto Juvenil da Feira – Armazém A do Cais do Porto, manhã e tarde.


TEMA - Biblioteca Escolar – a maior promoção da leitura

Programação Manhã 9h – 12h

9 h – Inscrições

9h30min – Abertura Oficial com CRB-10, CFB, Câmara Riograndense do Livro, FABICO e FAMURS

10h - Palestra “Aprendendo sobre o Rio Grande do Sul através dos livros” - Paixão Cortez – Patrono da 56ª Feira do Livro

10h30min - Painel – A maior promoção da leitura - Coordenação – Maria da Graça Artioli – Bibliotecária Câmara Riograndense do Livro

10h45min- Relato de Experiência – Ações da Biblioteca do CECLIMAR – Imbé - Bibliotecária Stella Maris do Canto Pivetta

11h30min- “Leitura sem fronteiras" - Marô Barbieri - escritora, professora e contadora de histórias"

Debates

Tarde – 13h 30min – 17h

13h30min- Abertura - Fala do Presidente da Câmara Rio-Grandense do Livro, João Carneiro



14h - Workshop “Plano Municipal do Livro e Leitura - Ações para sua implantação” – com guia prático de implantação do PMLL

Profa. Dra. Lizandra Brasil Estabel (LEIA/FABICO/UFRGS e IFRS); Profa. Dranda. Eliane L. da Silva Moro (LEIA/FABICO/UFRGS); Profª Dranda. Maria do Rocio F. Teixeira (LEIA/FABICO/UFRGS) e Loiva Teresinha Serafini – Bibliotecária Presidente do CRB-10.

Apresentação - Aline Trierweiler de Souza; Paula Fernanda F. Leal e Suelen Bilhar (Acadêmicas do Curso de Biblioteconomia da FABICO/UFRGS)

Ações de livro e leitura já realizadas no município – instrumentos de coleta de dados; Diagnóstico e Informações

Eixos Temáticos :


  • Democratização do acesso ao livro e leitura – Melhoria das Bibliotecas (pública, escolar, ramal, móvel e comunitária);

  • Fomento a Leitura e formação de mediadores;

  • Valorização da leitura e da Comunicação;

  • Apoio à criação e ao consumo de bens culturais.

17h – Encerramento

domingo, 24 de outubro de 2010

Sobre a importância do Braille

Isto É: Comportamento
| N° Edição: 2137 | 22.Out.10 - 21:00 | Atualizado em 24.Out.10 - 13:43

É o fim do braile?

Tecnologias facilitam acesso dos cegos ao conhecimento, mas os afastam da leitura pelo tato

Rodrigo Cardoso

chamada.jpg
ATUAL
Giovany Oliveira: computador e braile

Até dezembro, todos os 4.300 alunos com cegueira total do ensino fundamental e médio matriculados nas escolas pú­blicas do País irão receber um laptop com um sintetizador de voz que lê para eles o texto da tela. Dois mil já foram beneficiados e navegam nessa possibilidade, segundo o Ministério da Educação (MEC). Em fevereiro, mais tecnologia será despejada na carteira dos estudantes cegos que cursam do 6º ao 9º anos: uma coleção de 380 obras didáticas no formato digital Daisy. Abreviação para Sistema Digital de Acesso à Informação, a solução tecnológica batizada aqui de Mecdaisy permite ao aluno interagir com o livro digital, podendo pausar, pular ou retornar às páginas e capítulos, anexar anotações aos arquivos da obra e exportar o texto para impressão em braile, o sistema de códigos que possibilitou aos deficientes visuais o acesso à escrita e à leitura a partir do século XIX.

img.jpg

Embora o braile ainda seja defendido e aplicado pelas instituições de ensino durante a alfabetização, já há correntes de educadores que temem um afastamento dos estudantes com cegueira da leitura feita com os dedos por conta desses dispositivos tecnológicos (leia à pág. 78). “Está ocorrendo uma desbrailização”, afirma o professor de geografia e história Vítor Alberto Marques, do Instituto Benjamin Constant, entidade pioneira para cegos no Brasil. “A criança acha chato ler em braile e está migrando para outras tecnologias”, diz ele.

img1.jpg

O problema foi discutido na convenção anual que a Federação Nacional dos Cegos dos Estados Unidos realizou no ano passado. No evento, painéis com o slogan “ouvir não alfabetiza” foram espalhados para chamar a atenção para um dado alarmante: 90% das crianças americanas com deficiência visual estão crescendo sem aprender a ler e a escrever, segundo o vice-presidente da organização, Fredric Schroeder. Isso ocorre porque estão escravas de inovações como serviços telefônicos que leem jornal e leitura em voz alta de e-mails. “Essas tecnologias promovem um tipo passivo de leitura. Só por meio do braile o cérebro do deficiente visual absorve letras, pontuação e estrutura de textos”, defende Schroeder.

Mas o fato é que, hoje, o braile não reina mais sozinho na sala de aula. No Instituto de Cegos Padre Chico, em São Paulo, que possui 99 alunos carentes e segue a cartilha da Secretaria de Educação do Estado, os estudantes encaram, antes da alfabetização, exercícios que os preparam para o mundo digital. “Incentivamos a utilização do braile por meio de concursos de redação e de leitura”, diz a professora de informática Cynthia Carvalho. “Mas o contato com o computador, entre outras coisas, coloca a pessoa com cegueira em um patamar de igualdade.” Aluno do 5º ano do ensino fundamental, Giovany Oliveira, 11 anos, mostra, com as mãos no teclado, um pouco da sua desenvoltura no computador. O garoto digita na tela que nasceu sem visão e indica as teclas que o permitem ler, por meio de uma voz que sai da caixa de som, palavra por palavra ou a sentença toda. “No computador eu leio escutando. E o braile é legal porque aprendo como se escreve a palavra”, compara.

g_braile.jpg

O Mecdaisy fará parte do currículo escolar, oficialmente, em 2011, para jovens matriculados a partir do 6º ano. Esse software sonoro de livro digital, porém, só será aplicado nas disciplinas de português, história, geografia, ciências, e línguas estrangeiras. Matemática, física e química, por conta dos símbolos gráficos, seguem sendo ensinadas apenas em braile. Crianças matriculadas até o 4º ano receberão material didático só em braile. Para a deficiente visual Martinha Clarete Dutra dos Santos, diretora de políticas de educação especial do MEC, audiolivros, leitores de tela e livros digitais são, no Brasil, ferramentas complementares no processo de aprendizagem do deficiente visual. “A tecnologia é um elemento de inclusão social no País”, diz. “Mas é preciso cuidado para que não haja uma desbrailização por conta dá má utilização dessas inovações”, pontua Moysés Bauer, presidente da Organização Nacional dos Cegos do Brasil.

img2.jpg
“A tecnologia é um elemento de inclusão social”
Martinha dos Santos, diretora de políticas de
educação especial do MEC

Na convenção da federação dos cegos americanos circularam histórias de crianças que não sabiam o que era um parágrafo, que questionavam o porquê das letras maiúsculas ou o porquê de a expressão “felizes para sempre” ser composta por palavras separadas.

Foram prejudicadas, segundo Schroeder, pelo vício de somente ouvir o que um software reproduz. “Essas tecnologias são sinal de progresso?”, indaga. O estudante Giovany, ao ser perguntado se ainda gostava de ler em braile, confessou, sussurrando: “Todo dia, das 17h às 18h30, tenho de ler um livro em braile para minha mãe. A psicóloga me pediu.” Após descobrir as maravilhas do computador, o garoto não queria saber de outra coisa e dava escândalo se alguém o contrariasse. Um trato, então, foi feito para colocá-lo na linha e manter o gosto pelo braile. Giovany ganhou um computador e só pode usá-lo se cumprir uma rotina de leitura pelo tato. É preciso cuidar para que o desenvolvimento tecnológico não atrapalhe a alfabetização da pessoa com deficiência visual.

Fonte: http://www.istoe.com.br/reportagens/107318_E+O+FIM+DO+BRAILE

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

18 ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

29 de outubro de 2010 – Manhã e Tarde
Feira do Livro de Porto Alegre
Área Infanto-Juvenil da Feira – Armazém A do Cais do Porto Casa do Pensamento
Exposição - Vitrina da Leitura - Biblioteca do Cais - Armazém A do Cais do Porto

Inscrições Gratuitas – 200 lugares
TEMA - Biblioteca Escolar – a maior promoção da leitura
Programação

Manhã 9h – 12h

9 h – Inscrições

9h30min – Abertura Oficial com CRB-10, CFB, Câmara Riograndense do Livro, FABICO e FAMURS

10h - Palestra “Aprendendo sobre o Rio Grande do Sul através dos livros” - Paixão Cortez – Patrono da 56ª Feira do Livro

10h30min - Painel – A maior promoção da leitura - Coordenação – Maria da Graça Artioli – Bibliotecária Câmara Riograndense do Livro

10h45min- Relato de Experiência – Ações da Biblioteca do CECLIMAR – Imbé - Bibliotecária Stella Maris do Canto Pivetta

11h30min- “Leitura sem fronteiras" - Marô Barbieri - escritora, professora e contadora de histórias"

Debates



Tarde – 13h 30min – 17h

13h30min- Abertura - Fala do Presidente da Câmara Rio-Grandense do Livro, João Carneiro

14h - Workshop “Plano Municipal do Livro e Leitura - Ações para sua implantação” – com guia prático de implantação do PMLL
Profa. Dra. Lizandra Brasil Estabel; Profa. Dranda. Eliane L. da Silva Moro; Loiva Teresinha Serafini – Bibliotetcária Presidente do CRB-10
Ações de livro e leitura já realizadas no município – instrumentos de coleta de dados; Diagnóstico e Informações

Eixos Temáticos :

Democratização do acesso ao livro e leitura – Melhoria das Bibliotecas (pública, escolar, ramal, móvel e comunitária);
Fomento a Leitura e formação de mediadores
Valorização da leitura e da Comunicação
Apoio à criação e ao consumo de bens culturais

17h – Encerramento

Convite para Secretários de Educação e Cultura, Dirigentes Municipais Agentes Culturais, Educadores, Bibliotecários e profissionais que atuam na promoção da leitura

Campus Porto Alegre promove o 17º Fórum Gaúcho para a Melhoria das Bibliotecas Escolares

Em parceria com os Conselhos Federal e Regional de Biblioteconomia, o Campus Porto Alegre do IFRS promoveu, na tarde de sexta-feira, 8 de outubro, o 17º Fórum Gaúcho para a Melhoria das Bibliotecas Escolares, no auditório da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS (Rua Ramiro Barcelos nº 2705, Porto Alegre). Com o tema “Acessibilidade: Biblioteca para Todos”, o evento foi organizado pelos estudantes do Curso Técnico em Biblioteconomia do Campus Porto Alegre.

O diretor geral do Campus Porto Alegre, professor Paulo Roberto Sangoi, e o vice-diretor Júlio Xandro Heck, fizeram parte da mesa de cerimônia na abertura do Fórum. Sangoi falou sobre os desafios que surgiram com o crescimento do número de cursos e alunos da instituição e o projeto de modernizar a biblioteca do Campus Porto Alegre para torná-la uma biblioteca modelo, com acessibilidade a todos.

Na abertura também estavam as presidentes dos conselhos Federal e Regional de Biblioteconomia, Nêmora Rodrigues e Loiva Serafinni, além do diretor da FABICO/UFRGS, professor Ricardo Schneiders da Silva, da vereadora e bibliotecária Fernanda Melchionna e da coordenadora do grupo de pesquisa LEIA, professora doutora Iara Neves.

O público, formado por bibliotecários, professores e estudantes de Biblioteconomia do IFRS e da UFRGS, acompanhou palestras que abordaram assuntos como Biblioteca para Todos, portadores de necessidades especiais e o acesso à informação, além de uma mesa redonda sobre Biblioteca Escolar como espaço de inclusão e acessibilidade.

Dentre as palestras, relatos de experiências e mesa redonda, pode-se destacar a palestra ministrada pelas professoras Eliane Moro e Lizandra Estabel intitulada: Biblioteca para Todos, que apresentou dados sobre inclusão de PNEs no Brasil e na América Latina e sugestões de como tornar a biblioteca um espaço de inclusão e acessibilidade atendendo a TODOS.


O Fórum Gaúcho para a Melhoria das Bibliotecas Escolares foi constituído em 12 março de 2009, Dia do Bibliotecário, com a finalidade de reunir mensalmente autoridades, professores e estudantes para discutir melhorias nas bibliotecas escolares e implementar o Projeto Mobilizador: biblioteca escolar construção de uma rede de informação para o ensino público, proposto pelo Sistema CFB/CRBs.

Fonte: http://www.poa.ifrs.edu.br/?p=7851

sábado, 9 de outubro de 2010

Dia Nacional da Leitura: TODO DIA É DIA DE LER


O Grupo de Pesquisa LEIA da FABICO/UFRGS está participando da Campanha do Instituto EcoFuturo publicando no seu Blog o logo e atuando com ações de Incentivo a Leitura, Formação de Leitores, Formação de Mediadores de Leitura para a Bibliodiversidade, Projeto de Incentivo à Leitura na Prefeitura de Gramado, Projeto Cor@gem no HCPA, entre outras ações.
Para conhecer um pouco mais dos projetos, acesse:

Mais informações sobre o Projeto Todo Dia é Dia de Ler: http://www.dianacionaldaleitura.com.br/2010/index.php/como-participar.html



Brasil celebra o Dia Nacional da Leitura no próximo 12 de outubro

No próximo dia 12 de outubro comemoramos o Dia Nacional da Leitura. A data aproveita o Dia das Crianças para estimular este hábito entre crianças e jovens brasileiros. Muitos municípios desenvolvem, ao longo do ano, projetos de incentivo à leitura e reforço escolar na disciplina de Língua Portuguesa. Os resultados, muitas vezes, impactam os índices de avaliação da educação básica.

O Blog Educação levantou alguns casos de sucesso Brasil afora. A lição é que, com criatividade e um pouco de esforço, é possível criar projetos que mobilizem nossa infância e juventude para a importância da leitura.

Municípios brasileiros desenvolvem projetos para resgatar o prazer em ler entre crianças e jovens

projeto-leitura-miraíUma iniciativa que tem mobilizado os estudantes de Miraí, em Minas Gerais, é o projeto de leitura “Inteligente é assim: tudo que vê, lê”. O objetivo da iniciativa é resgatar o prazer pela leitura dos jovens com base nos grandes nomes da nossa literatura. Os alunos da rede municipal de ensino pesquisam e apresentam trabalhos sobre as obras de grandes escritores como Cecília Meireles, Vinícius de Moraes e Monteiro Lobato.

A Secretária de Educação do município, Maria do Carmo Oliveira e Silva Trota explica que “infelizmente, desde muito tempo, a falta de hábito da leitura tem sido um dos maiores vilões na realidade das escolas de todas as redes”. O projeto de leitura, que comemorou em agosto um ano, tem resgatado o prazer pela leitura e o sucesso entre os alunos é grande. Para registrar os trabalhos dos estudantes, a iniciativa ganhou até um blog. Confira: http://smeducacaomirai.blogspot.com/

Em Niquelândia, interior de Goiás, a leitura também tem entrado na vida de centenas de alunos do Colégio Estadual Coronel Joaquim Taveira. A proposta é trabalhar com metodologias e ações que valorizem os assuntos de interesse dos alunos e, assim, estimulem o prazer pela leitura.

Segundo a diretora da escola, Maristela Aidar, a ideia foi buscar conteúdos que atraíssem os jovens. “Adotamos como primeira etapa uma conversa informal com os estudantes, na qual eles contam quais os tipos de histórias gostam de ler, que tipos de publicações [livros, revistas, gibis etc] têm em casa, se alguém da família costuma ler para eles, entre outras coisas”, conta. “A partir dessas informações, damos início a uma série de atividades abrangendo leitura, interpretação e produção de textos”.

sabor-litário-1Já na Escola Estadual Presidente Roosevelt, em Parnamirim, interior do Rio Grande do Norte, acontece o projeto Cafeteria Sabor Literário. A iniciativa tem levado a comunidade para dentro da escola.

Aproveitando um espaço pouco utilizado no colégio, a diretoria criou uma cafeteria onde, além de saborear os quitutes, os pais e moradores do bairro podem acompanhar apresentações culturais, como teatro, música e poesia produzidas pelos próprios alunos nas aulas de literatura.

O trabalho, que envolveu diversas turmas, é um sucesso na comunidade e já acontece desde 2008, trabalhando inclusive as leituras obrigatórias para o vestibular da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Mobilização na rede

Muitas organizações estão se organizando para criar uma grande campanha de mobilização em favor do estímulo à leitura. Liderada pelo Instituto Ecofuturo, a campanha tem como tema neste ano o conceito “todo dia é dia de ler”.

Em comemoração à data, no dia 12/10, o próprio Instituto Ecofuturo lança a publicação eletrônica “Para que serve a literatura?”, com artigos de vários profissionais das mais diversas áreas do conhecimento. Os interessados poderão acessar o material no site www.dianacionaldaleitura.com.br.

Mais informações: http://www.blogeducacao.org.br/brasil-celebra-o-dia-nacional-da-leitura-no-dia-12-de-outubro/

Projeto O Mundo Mágico da Leitura: Portão/RS

Em escola de Portão, estudantes mais velhos leem histórias para os mais novos

Projeto O Mundo Mágico da Leitura ganhou toda a Escola Municipal Vila Aparecida

Letícia Barbieri | leticia.barbieri@zerohora.com.br

Eles têm nove anos de idade e uma legião de fãs na escola. Os mais novos mal podem esperar pela vez deles. Ficam ansiosos até a terça-feira em que a professora do 4º ano vai bater na porta com seus alunos e perguntar: querem ouvir uma leitura? A vibração é geral. Prontamente, os pequenos do 2º e 3º anos se organizam e saem de mãos dadas com os grandes do 4º ano.

Em duplas, no pátio da escola, eles se entregam aos livros. A história narrada com solenidade pelos mais velhos é ouvida com atenção. Enquanto ela desperta a curiosidade do pequeno, treina a leitura do grande. Ninguém quer ir embora.

– Parece que a gente entra dentro do livro – explica Vitória Krumenauer, nove anos.

Desde que descobriu que a leitura na aula deixava marcas em seus antigos alunos, a professora Alba da Silva percebeu que poderia fazer mais.

– Um dia uma ex-aluna voltou à escola para trazer o filho e em uma carta escreveu que jamais esqueceu do 4º ano, no qual a leitura em sala de aula a fazia sonhar, fantasiar, viajar – emocionada-se a professora.

Do relato nasceu o projeto O Mundo Mágico da Leitura que ganhou toda a Escola Municipal Vila Aparecida, um exemplo de Portão, no Vale do Sinos. Mais do que os grandes do 4º ano e os pequenos do 2º e 3º, o projeto envolve os pais dessas crianças.

Quando chegam em casa, não importa a idade, todos viram contadores de histórias e os ouvintes são eles: o pai e a mãe. Pareceres são feitos por eles à mão e enviados para a escola.

– Apesar de o livro ser bastante longo, a leitura foi fluente, com timbre e pontuação durante todo o tempo – percebeu Adriane Arneche, mãe de Arielle.

O hábito da leitura ultrapassa a sala de aula, chega ao pátio da escola e percorre os corredores e refeitório quando todas as terças-feiras os 98 alunos, seis professores e três funcionários da escola param e dedicam meia hora a livros, jornais e revistas. Vale tudo, o importante é o prazer da leitura ser compartilhado.

– Nós apostamos nessa semente. Hoje, eles leem para os colegas, amanhã poderão ler para os seus filhos – acredita a diretora da escola, Elza Pereira.

Fonte: ZERO HORA

terça-feira, 28 de setembro de 2010

17º FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES


O FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES 2010 convida para a REUNIÃO MENSAL, a ser realizada no dia 8 de outubro do corrente , às 13h30min, no Auditório da FABICO/UFRGS, Rua Ramiro Barcelos,nº2705, em Porto Alegre. O Evento é uma promoção do Conselho Regional de Biblioteconomia e do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) Campus Porto Alegre.




quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Curso de Extensão Mediadores de Leitura na Bibliodiversidade

Abertas as inscrições para o Curso de Extensão Mediadores de Leitura na Bibliodiversidade. O curso oportunizará a reflexão e o debate relacionados a dinâmica da mediação da leitura em sala de aula, na biblioteca, na família e em outros espaços comunitários, envolvendo crianças, jovens, adultos e idosos, leitores, neo-leitores e não leitores e será oferecido na modalidade Educação Aberta e a Distância (EAD) mediado por computador.
O público alvo é formado por professores de Educação Básica, coordenadores/supervisores pedagógicos, gestores do sistema de ensino público federal, estadual e municipal e pesquisadores na área.
O curso que tem 90h (noventa horas) de carga horária, em cinco módulos, será oferecido nos seguintes polos UAB do Rio Grande do Sul: Agudo; Camargo; Cerro Largo; Constantina; Cruz Alta; Faxinal do Soturno; Herval; Hulha Negra; Jacuizinho; Mostardas; Restinga Seca; Santana da Boa Vista; Santana do Livramento Seberi; Sobradinho; Tapejara; Tio Hugo; Três de Maio.

sábado, 11 de setembro de 2010

Legislação Bibliotecas Escolares

Acessem a apresentação: Organização de Bibliotecas Escolares - aspectos técnicos e legais - IFRS e FABICO/UFRGS - da Profa. Dra. Lizandra Estabel e Profa. Dranda. Eliane Moro apresentada no Fórum Gaúcho pela Melhoria das Bibliotecas Escolares, realizado no município de Canoas/RS, no dia 11 de junho de 2010.
Link: www.ufrgs.br/leia/forum_CANOAS.pps
Ainda sobre a Lei 12244 : http://leia-fabicoufrgs.blogspot.com/2010/05/sancionada-lei-que-universaliza.html

domingo, 5 de setembro de 2010

Oficina Literatura de Cordel

Nos dias 3 e 4 de setembro de 2010 as Profªs Eliane Moro e Lizandra Estabel ministraram a Oficina: Literatura de Cordel na Editora Paulinas.
Conforme foi solicitado, publicamos o link do Cordel: Negrinho do Pastoreio, de Benedito Generoso do Costa. Acesse aqui.
A seguir, pub
licamos alguns exemplos de Literatura de Cordel elaborados na Oficina:

Da minha terra

Tu vais te rir
é capital cá do Sul
Mas de verdade, guri
É a Vila do IAPI

Do bicho de sed
a e o foguete
Onde se
criou a Elis
Que viveu desde guri
o Coimbra, aquele Davi

Se conheces Porto Alegre
Mas não passaste ali
Te aliger
a, então vivente,
Vai corrend
o ao IAPI.

Autora: Rosa Cunha


Somos quatro professoras
Num dia de chuva torrencial
Buscando formar crianças leitoras
Para esse Brasil Cultural


Através de muito empenho
Desta classe profissional
Prá mudar o país inteiro
Desta realidade social.

Buscando o conhecimento
Todas nós estamos então
Prá mudar o pensamento
Desta nossa grande nação.

Autora: Brenda Becker


Neste dia de chuva
Que antecede um feriadão
Viemos a Porto Alegre
Descemos lá na Estaç
ão
Só para estudar o Cordel
Que é uma grande lição.


Depois de muito escutar
Já vimo
s que não é trova não
Cordel é coisa do Sertão
Gaúcho sabe
mesmo
É fazer trova e chimarrão
E termino assim esses versos
Mateando no galpão!

Autoras: Cíntia, Rita e Milene.

sábado, 28 de agosto de 2010

Feira mostra ideias simples para a inclusão social de PNEs

Tecnologias Assistivas
De cada 100 brasileiros, 14 são portadores de algum tipo de deficiência. Para a maioria deles, a inclusão social ainda é um sonho. Em uma feira no Rio de Janeiro, inventores provam que o mínimo de boa vontade pode garantir o direito à cidadania. Através de ideias simples e pequenas adaptações, a vida muitas pessoas que tem um cotidiano limitado pode ser mudada.



Para mais informações, clique aqui.

domingo, 15 de agosto de 2010

Semana Municipal da Pessoa com Deficiência - Gravataí

CONVITE

A Fundação de Arte e Cultura de Gravataí FUNDARC, através da Biblioteca Pública Municipal Monteiro Lobato, tem o prazer de convidar a comunidade em geral a prestigiar mais uma das grandes atividades, parte da programação da Semana Municipal da Pessoa com Deficiência.

De 24 a 27 de agosto de 2010 estará acontecendo na Biblioteca Pública municipal Monteiro Lobato, a exposição de fotos “Imagens que brotam do Coração” do jovem fotógrafo, e há 10 anos cego, Valdir da Silva. A exposição estará aberta à visitação durante toda semana municipal da pessoa com deficiência das 8h30min às 18h30min, sem fechar ao meio dia. Ainda fazendo parte da programação, no dia 26 de agosto de 2010, em duas seções, estará sendo exibido na biblioteca o longa gaúcho “Antes que o Mundo Acabe” da diretora Ana Luiza Azevedo. As duas seções contarão com recurso de áudio descrição para as pessoas cegas e legenda para as pessoas surdas.

Para maiores informações entre em contato com a Biblioteca Pública Municipal Monteiro Lobato pelo telefone: 51 3488-9200

Contamos com sua presença!

(A imagem em anexo, mostra a parte escrita do convite em letras escuras e no lado direito no monitor mostra um coração com contorno vermelho brotando dele arbustos e flores de diversas cores.)

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Alunos de escolas especiais recebem certificado

Doze estudantes, entre 17 e 21 anos, de duas escolas especiais municipais recebem nesta sexta-feira, 13 às 15h, certificados de conclusão dos cursos de iniciação em confeitaria e em panificação.

Esta é a primeira turma que receberá a certificação do projeto de Iniciação em Panificação e Confeitaria (IPEC), fruto de parceria entre o IFRS e a prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação. “A ideia é ampliar os cursos também para outras áreas e estendê-los também aos pais”, informa Ana Claudia Rodrigues, coordenadora do Programa de Trabalho Educativo (PTE) na Escola Municipal de Ensino Especial Fundamental (Emeef) Professor Elyseu Paglioli.

Durante quatro meses, às quartas-feiras, um veículo do IFRS buscava e levava os alunos das escolas Elyseu Paglioli e Professora Lygia Marrone Averbuck para participarem do curso. Durante as 12 oficinas que compõem o projeto, além da execução de formulações, são ensinadas noções básicas de higiene e manipulação de alimentos, características de qualidade e segurança no trabalho.

Os cursos são organizados pelos professores do Curso Técnico de Panificação e Confeitaria e pelo Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidades Especiais do IFRS. “Verifica-se a satisfação dos alunos diante dos novos aprendizados, o empenho dos educadores das escolas de ensino especial, bem como o apoio dos pais que se reflete no baixo índice de falta às oficinas”, constata o coordenador.


Mais informações, acesse: Prefeitura de Porto Alegre

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Programa de Capacitação em Gestão Documental em EAD: CAPADOC


Foi aberto hoje, dia 09, na FABICO, o Programa de Capacitação em Gestão Documental em EAD. O CAPADOC visa preparar os técnico-administrativos da Universidade para a implementação de programas e procedimentos que otimizem trabalho, melhorem a qualidade dos serviços prestados, reduzam custos e capacitem os profissionais nos processos de gestão documental. Promovido pela Pró-reitoria de Gestão de Pessoas (PROGESP) e pelo Grupo de Pesquisa LEIA do Departamento de Ciências da Informação (DCI), em parceria com o Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) Campus Porto Alegre, diversas unidades acadêmicas e instituições, o programa terá atividades presenciais e na modalidade EAD (a distância), distribuídas em quatro módulos, entre agosto de 2010 e agosto de 2011. A abertura acontece às 9 horas, no Auditório da FABICO (Rua Ramiro Barcelos, 2705 - Campus Saúde), com a presença de autoridades convidadas, coordenação, professores, tutores e servidores da Universidade.

Mais informações: http://www.ufrgs.br/capadoc/

sábado, 3 de julho de 2010

Universidade norte-americana desenvolve carro especial para cegos


Um cego pode se capacitar a dirigir um carro? Pesquisadores americanos estão tentando transformar esse desejo em uma realidade acessível a todos. A Federação Nacional dos Cegos dos EUA e a universidade Virginia Tech planejam apresentar no ano que vem um veículo equipado com uma tecnologia que permite aos cegos conduzir um carro sem auxílio de outra pessoa.

Chamada “interfaces não visuais”, a tecnologia utiliza sensores que transmitem ao motorista informações sobre o que está ao seu redor: se um outro veículo ou objeto está próximo, em sua frente ou em outra faixa. Essa iniciativa está sendo considerada uma conquista para os cegos tão grande quanto foi para a humanidade o homem ter chegado à Lua. Dirigir um carro sem poder enxergar era tido como impossível. Por isso, os pesquisadores esperam que o projeto revolucione os conceitos de mobilidade e desafie as limitações.

– Estamos explorando áreas que anteriormente eram consideradas inexploráveis. Estamos nos afastando da teoria de que a cegueira acaba com a capacidade dos seres humanos de contribuir com a sociedade – destaca Marc Maurer, presidente da Federação Nacional dos Cegos dos EUA.

O sistema vai ser colocado à prova em janeiro, quando um Ford Escape modificado será apresentado na famosa corrida de Daytona, na Flórida. Uma das interfaces, chamada DriveGrip, usa luvas com dispositivos vibratórios em áreas que cobrem as dobras dos dedos. As vibrações indicam ao motorista onde e quando fazer a curva, por exemplo. Outra interface, chamada AirPix, é um tablet com múltiplos buracos. O ar comprimido que sai do equipamento ajuda a informar o motorista do que está ao seu redor, criando uma espécie de mapa dos objetos que estão perto do veículo.

De acordo com o engenheiro mecânico Dennis Hong, professor de Virginia Tech que conduziu a pesquisa, a tecnologia poderá, futuramente, ser usada também em veículos convencionais para incrementar a segurança, entre outras aplicações. Hong afirma que a intenção é desenvolver a tecnologia para comercialização. Pondera, porém, que isso só irá ocorrer quando for provado que o produto é 100% seguro.

Membros das associações de cegos dizem que ainda levará muito tempo para que a sociedade aceite o potencial de motoristas cegos. Mais do que tudo, alegam, a iniciativa é parte de uma missão maior de mudar a maneira como as pessoas veem os cegos.

Fonte: Zero Hora

quinta-feira, 1 de julho de 2010

"Vamos zerar o índice de municípios sem biblioteca", diz ministro da Cultura


Por Carlos André Moreira

A assinatura de convênios para garantir investimentos em sete dezenas de municípios do Rio Grande do Sul fez o ministro da Cultura, Juca Ferreira, alterar sua agenda e vir a Porto Alegre. Ferreira assinou ontem (29 de junho), no início da tarde, convênios com três consórcios municipais e seis cidades, numa parceria que vai destinar um total de R$ 5,9 milhões para iniciativas de incentivo à leitura e ao cinema em 76 municípios do Estado – R$ 4,7 milhões investidos por parte do Ministério da Cultura e R$ 1,2 milhão como contrapartida das prefeituras envolvidas. Os recursos vão para a modernização de bibliotecas e para a instalação de Salas de Leitura e Cines Mais Cultura (minibibliotecas e cineclubes gratuitos para exibição de filmes nacionais).

Zero Hora – Na assinatura do convênio o senhor citou o índice de bibliotecas como 2,7 para cada 10 mil habitantes. Como aumentar essa proporção?

Juca Ferreira – Quando chegamos ao governo eram 2,6 mil municípios sem biblioteca, e pretendemos zerar isso agora. É um índice praticamente zerado, mas que precisa sempre de checagem, porque há municípios em que a prefeitura fecha bibliotecas para cortar despesas. Estamos inaugurando uma nova geração de bibliotecas, verdadeiros centros culturais. Isso se faz com investimento público. As bibliotecas são 99,9% públicas, e cabe aos governos federal, estaduais e municipais investirem.

ZH – Quando devem entrar em atividade as bibliotecas e os cineclubes previstos nos convênios?Ferreira – Provavelmente até o fim do ano. Porque as restrições da lei eleitoral ainda não estão valendo para os documentos assinados hoje. Vai levar só o tempo tecnicamente necessário para as obras ficarem prontas.

ZH – O senhor falou em uma “nova geração de bibliotecas”. Que modelo de biblioteca é necessário hoje para atrair a atenção de um leitor conectado à internet na era do livro eletrônico?Ferreira – Uma biblioteca que tenha acervos, e não apenas livros disponíveis. Estamos financiando a digitalização da Biblioteca da USP, estamos digitalizando a Biblioteca Nacional e apoiando a digitalização de muitas bibliotecas estaduais. Evidentemente tem problemas de direito autoral e outra série de questões, mas uma biblioteca não é moderna apenas no aspecto tecnológico. Hoje as bibliotecas ficam esperando que a pessoa vá lá pedir um livro. Como os brasileiros leem 1,7 livro por ano, se você ficar esperando vai lidar com uma parcela ínfima da população. A nova geração de bibliotecas é a que motiva a leitura, que incentiva o interesse pelo livro. Esse é o aspecto mais importante da modernização de uma biblioteca.


Os convênios
PARCERIAS
Os valores abaixo referem-se ao investimento total, somando os recursos do Ministério da Cultura e a contrapartida de cada prefeitura:
- Alvorada: R$ 115 mil para modernização de uma biblioteca e instalação de três pontos de leitura
- Bento Gonçalves: 200 mil para a instalação de 10 pontos de leitura
- Cachoeirinha: R$ 155 mil para a modernização de uma biblioteca e a instalação de cinco pontos de leitura
- Capão da Canoa: R$ 110 mil para modernização de duas bibliotecas públicas
- Dois Irmãos: R$ 245 mil para a modernização de três bibliotecas e a instalação de quatro pontos de leitura
- São Leopoldo: R$ 1,5 milhão para modernização de duas bibliotecas, instalação de seis pontos de leitura, seis salas Cine Mais Cultura e a formação de 44 agentes de leitura


CIDADES POR CONSÓRCIO
- Nove bibliotecas modernizadas, seis pontos de leitura e cinco salas de Cine Mais Cultura na região do Consórcio Intermunicipal do Vale do Rio Caí, formado pelos municípios de Alto Feliz, Bom Princípio, Barão, Brochier, Capela de Santana, Harmonia, Feliz, Linha Nova, Maratá, Montenegro, Pareci Novo, Poço das Antas, Portão, São José do Hortêncio, São Pedro da Serra, São Sebastião do Caí, Salvador do Sul, São José do Sul, São Vendelino, Tabaí, Tupandi e Vale Real
- Nove bibliotecas modernizadas, 10 pontos de cultura e 24 Cines Mais Cultura nas cidades do Consórcio Alto Uruguai, formado pelos municípios Alpestre, Ametista, Barra do Guarita, Boa Vista das Missões, Caiçara, Cristal do Sul, Derrubadas, Dois Irmãos das Missões, Erval Seco, Frederico Westphalen, Iraí, Jaboticaba, Miraguaí, Palmitinho, Pinhal, Pinheirinho do Vale, Planalto, Rodeio Bonito, Seberi, Taquaruçu do Sul, Tenente Portela, Vista Gaúcha, Vista Alegre e Palmeira das Missões
- 23 bibliotecas modernizadas, 24 Pontos de Leitura e 24 Cines Mais Cultura para o Consórcio Região do Alto Uruguai, formado pelos municípios de Benjamin Constant do Sul, Campinas do Sul, Centenário, Cerro Grande, Chiapetta, Erebango, Erechim, Erval Grande, Floriano Peixoto, Fontoura Xavier, Gaurama, Ibiaçá, Itatiba do Sul, Jacutinga, Lajeado Bugre, Machadinho, Mariano Moro, Maximiliano de Almeida, Novo Tiradentes, Ponte Preta, Paim Filho, Severiano de Almeida, Serafina Corrêa e Vicente Dutra.

Fonte: Zero Hora

terça-feira, 29 de junho de 2010

Audiência Pública sobre “Plano Municipal do Livro e da Leitura”

Convite para Audiência Pública sobre “Plano Municipal do Livro e da Leitura”
A Frente Parlamentar de Incentivo à Leitura o convida para participar da Audiência Pública que se realizará na Câmara Municipal de Porto Alegre no dia 1º de Julho às 09h30. Audiência da Comissão de Educação, Cultura e Esporte desta Casa Parlamentar com o tema “A construção do Plano Municipal do Livro e da Leitura”. O desenvolvimento deste Plano pode significar um verdadeiro avanço na constituição de políticas públicas do Município de Porto Alegre para o incentivo à leitura.
Cabe a sociedade gaúcha e Porto-alegrense através da participação de todas as instituições governamentais, mas sobretudo, da sociedade civil que tem no rol de seus objetivos o incentivo à cultura e assim também da leitura construírem uma nova realidade em que a cultura e o contato com os livros sejam transformados em atos cotidianos para a maioria da população. A Frente Parlamentar de Incentivo à Leitura de Porto Alegre acredita assim que a participação popular é essencial para a resolução deste problema e conta com a sua participação nesta Audiência Pública.
Vereadora Fernanda Melchionna
Presidente da Frente Parlamentar de Incentivo à Leitura
Câmara Municipal de Porto Alegre


terça-feira, 22 de junho de 2010

LEI Nº 12.266, DE 21 DE JUNHO DE 2010: Institui o Dia Nacional do Sistema Braille

Ontem, 21 de junho de 2010 foi instituído o Dia Nacional do Sistema Braille. Este dia é dedicado para (re)pensar a inclusão, promover a acessibilidade e lutar pelo acesso e uso da informação pelas pessoas com limitação visual.
A seguir, a lei:

LEI Nº 12.266, DE 21 DE JUNHO DE 2010.

Institui o Dia Nacional do Sistema Braille.


O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1o É instituído o Dia Nacional do Sistema Braille, a ser celebrado, anualmente, em 8 de abril.

Art. 2o No Dia Nacional do Sistema Braille, as entidades públicas e privadas realizarão eventos destinados a reverenciar a memória de Louis Braille, divulgando e destacando a importância do seu sistema na educação, habilitação, reabilitação e profissionalização da pessoa cega, por meio de ações que:

I – fortaleçam o debate social acerca dos direitos da pessoa cega e a sua plena integração na sociedade;

II – promovam a inserção da pessoa cega no mercado de trabalho;

III – difundam orientações sobre a prevenção da cegueira;

IV – difundam informações sobre a acessibilidade material, à informação e à comunicação, pela aplicação de novas tecnologias;

V – incentivem a produção de textos em Braille;

VI – promovam a capacitação de profissionais para atuarem na educação, habilitação e reabilitação da pessoa cega, bem como na editoração de textos em Braille.

Art. 3o Esta Lei entra em vigor na data da sua publicação.

Brasília, 21 de junho de 2010; 189o da Independência e 122o da República.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
Fernando Haddad
José Gomes Temporão
Paulo de Tarso Vannuchi

Sobre Louis Braille, acesse: http://www.bengalalegal.com/louis.php

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Escritor: Morte de Saramago é perda para Brasil e Portugal

Por Ana Cláudia Barros
"A literatura portuguesa perde seu maior escritor contemporâneo". A declaração, carregada de consternação, é do imortal Murilo Melo Filho, sexto ocupante da cadeira número 20 da Academia Brasileira de Letras, ao comentar a morte do escritor português José Saramago, na manhã desta sexta-feira (18).
Melo, que conheceu Saramago pessoalmente durante viagem do escritor lusitano ao Rio de Janeiro, lembra que o autor de "Ensaio sobre a cegueira" era um homem "bem concatenado, com a cabeça colocada em um plano de muita organização".
Com indisfarçável saudosismo, ele relembra ainda a ligação de Saramago com a ABL.
- Ele chegou a ser eleito sócio correspondente da nossa academia em Lisboa. Recebeu a comunicação da eleição e respondeu agradecendo e aceitando. Foi convidado porque tinha acabado de receber o Prêmio Nobel de Literatura de 1998. Pode-se dizer que, depois de Camões, foi o maior nome da literatura portuguesa.
Para Melo, a morte do escritor, que estava com 87 anos, foi "uma perda irreparável para a cultura brasileira e portuguesa".

Trajetória literária

José Saramago iniciou sua carreira literária no final da década de 40, com a publicação do romance Terra do Pecado. É autor de obras, como O Ano da Morte de Ricardo Reis (1984), A Jangada de Pedra (1986), Ensaio sobre a Cegueira (1995), Todos os Nomes (1997), e O Homem Duplicado (2002).

Fonte: Terra

Ainda sobre Saramago....

por Martha Medeiros

Saramago era um homem que mantia as pessoas acordadas. Morreu aos 87 anos, não era um garoto, mas sempre é cedo para partir, ainda mais quando se trata de alguém que ainda produzia, pensava, amava, vivia. Tanta gente por aí que não vive.

*

Estou triste e ao mesmo tempo feliz por ter tido oportunidade de conhecer alguma coisa da sua obra. Me sinto grata. Ele me ofertou, e aos milhares que admiravam sua literatura, momentos de um prazer íntimo e enriquecedor. Que bom que os livros ficam.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Instalada a Frente Parlamentar Gaúcha de Incentivo à Leitura





Escrito por Jose Bonamigo
Qui, 17 de Junho de 2010 00:17

O início da tarde desta quarta-feira (16) foi marcado pela instalação da Frente Parlamentar Gaúcha de Incentivo à Leitura, na Assembleia Legislativa. A iniciativa foi do deputado Miki Breier (PSB) e contou com a adesão de mais 31 parlamentares. A Frente Parlamentar é um organismo suprapartidário que se dispõe a criar espaços e mecanismos de motivação à sociedade para o importante hábito da leitura. Na ocasião, o deputado reafirmou que, como professor, sempre identificou o livro como um instrumento de desenvolvimento do ser humano.

Em sua fala, o presidente da Câmara do Livro, João Carneiro, a instalação Frente é um momento histórico para o Rio Grande do Sul. “Começamos esta batalha com a Câmara de Vereadores da Capital. Nosso objetivo é estender o acesso ao livro e a leitura a todos”, afirmou.

Conforme a vereadora de Porto Alegre, Fernanda Melchionna (PSOL), que coordena a Frente Parlamentar de Incentivo à Leitura da Capital, o direito à leitura tem que ser uma política de Estado, não de governo, para garantir sua permanência mesmo nas trocas de governo.

O deputado Miki Breier destacou a necessidade de criação de um programa de incentivo para baratear os livros. “Através da Frente Parlamentar Gaúcha, queremos tornar a Assembleia Legislativa parceira na promoção de seminários de discussão sobre o tema, de campanhas de doação de livros e a organização de mais feiras do livro pelo Estado”, afirmou.

Ele destacou que no Brasil a média de livros lidos por habitante ao ano é de 4,7, enquanto no RS é de 5,5 e no noroeste do Estado, onde realiza-se a Jornada de Literatura de Passo Fundo, o índice sobe para 6,5. Conforme o Indicador de Alfabetismo Funcional (INAF), divulgado em dezembro de 2009, 15% da população brasileira entre 15 e 24 anos é considerada analfabeta funcional, isto é, não consegue compreender textos curtos, e 2% são analfabetos absolutos. Miki destacou que “pior do que não saber ler, é saber ler e não exercitar a leitura”.

O deputado abordou a importância do hábito da leitura e a falta de medidas efetivas por parte dos legisladores em relação ao tema. “Há muito esforço quando se trata de buscar recursos para estradas e outras ações, mas não se vêem emendas no Orçamento para bibliotecas e formas de incentivo à leitura”, disse o parlamentar. O deputado concluiu seu discurso afirmando que a Frente Parlamentar quer fazer parte do exército de pessoas que divulga o quanto é importante a leitura para mudar a vida das pessoas.

Entre os presentes na solenidade de lançamento da Frente Parlamentar de Incentivo à Leitura estavam a representante do Conselho Regional de Biblioteconomia e coordenadora do Fórum Gaúcho de Bibliotecas, Loiva Serafini; a produtora da Câmara do Livro, Sônia Zanchetta; a representante da OAB, Carmelina Mazzardo; o secretário de Cultura de Cachoeirinha, Claiton Manfro; o diretor da Editora Sulina, Walter Gress; a coordenadora da Biblioteca da Assembleia Legislativa, Sônia Brambila; representantes da Secretaria de Educação de Porto Alegre; representantes da Escola do Legislativo, bibliotecárias e professores.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Organização de Bibliotecas Escolares - aspectos técnicos e legais (apresentação)

A reunião do Fórum Gaúcho pela Melhoria das Bibliotecas Escolares, que ocorreu no dia 11 de junho de 2010, no auditório da Biblioteca Pública Municipal João Palma da Silva, em Canoas/RS, reuniu bibliotecários de várias cidades e estudantes de Biblioteconomia da FABICO/UFRGS e do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), da Capital. Os temas expostos e debatidos foram Rede Municipal de Leitura - bibliotecas de acesso, pontos de leitura, bibliotecas escolares, públicas e comunitárias, Integração das ações culturais e educacionais de leitura - bibliotecários, professores, técnicos em biblioteconomia, mediadores de leitura, escritores, estudantes e leitores.

Coordenaram o evento a coordenadora da Biblioteca João Palma da Silva, Simone Maia, e a presidente do Conselho Regional de Biblioteconomia, Loiva Teresinha Serafini. A reunião teve participação de bibliotecários de bibliotecas públicas de Porto Alegre, Triunfo, São Jerônimo, Cachoeirinha, Esteio, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Guaíba e Bento Gonçalves. A Secretaria Municipal de Educação foi representada pela secretária adjunta Marta Rufato. Ela afirmou que “a leitura melhora nossa forma de pensar e de agir”. Anunciou, ainda, que o novo plano de carreira do magistério municipal cria a função de bibliotecário, que será desempenhada por profissionais selecionados em concurso público.

PAINÉIS

O secretário de Cultura de Canoas, Jeferson Assumção, relatou a experiência de Canoas com a leitura em rede municipal, assegurando que a leitura é a parte central da política cultural do município, onde já funcionam dois pontos de leitura, nos bairros Guajuviras e Niterói. Ele também distribuiu aos presentes o Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL), que considera um “pacto entre governo e sociedade para fazer do Brasil um país de leitores”. Acrescentou que a cultura do país é muito rica em sua diversidade, mas pobre na dimensão escrita, pois 10% da população ainda são analfabetos.

Organização de bibliotecas escolares - aspectos técnicos e legais foi abordado pelas professoras doutoras do IFRS e da FABICO/UFRGS Lizandra Estabel e Eliane Moro. Elas destacaram a importância das bibliotecas públicas e escolares atenderem as necessidades dos usuários e não criar “cadeados invisíveis”, em nome da organização e dos regulamentos.

Loiva expôs a atuação do CRB-10 pela melhoria das bibliotecas escolares. Também relatou experiências sobre sistema de bibliotecas escolares em Novo Hamburgo representado pelo professor Leandro Lemes do Prado. O bibliotecário Ricardo Maus Affonso abordou cultura e educação na Biblioteca Pública de São Leopoldo.

Informações: Eloá da Rosa

Acessem a apresentação: Organização de Bibliotecas Escolares - aspectos técnicos e legais - IFRS e FABICO/UFRGS - da Profa. Dra. Lizandra Estabel e Profa. Dranda. Eliane Moro apresentada no Fórum Gaúcho pela Melhoria das Bibliotecas Escolares, realizado no município de Canoas/RS, no dia 11 de junho de 2010.
Link: www.ufrgs.br/leia/forum_CANOAS.pps

terça-feira, 8 de junho de 2010

CANOAS/RS - Fórum Gaúcho pela Melhoria das Bibliotecas Escolares


O Fórum Gaúcho pela Melhoria das Bibliotecas Escolares convida para reunião em Canoas no dia 11 de junho de 2010


Tema - Rede Municipal de Leitura - Bibliotecas de Acesso, Pontos de Leitura, Bibliotecas Escolares, Públicas e Comunitárias


Integração das ações culturais e educacionais de leitura - Bibliotecários, professores, técnicos em biblioteconomia, mediadores de leitura, escritores, estudantes e leitores

13 h 30 min - Inscrições e Recepção

14 h - Abertura oficial Secretário Municipal de Cultura Jeferson Assumção
Secretário Municipal de Educação Paulo Roberto Ritter
Coordenadora da 27 CRE Liane Verônica Leote
Presidente da Câmara Municipal de Canoas Cezar Paulo Mossini
Presidente CRB-10 Loiva Teresinha Serafini
Coordenadora da Biblioteca Pública Municipal João Palma da Silva
Bibliotecária Simone Maia

14:30 - PAINEL I - Leitura em Rede Municipal - a integração das Bibliotecas de Acesso - Bibliotecas Escolares, Bibliotecas Públicas, Comunitárias e Pontos de Leitura - Experiência de Canoas

Painelistas - Secretário de Cultura de Canoas Jeferson Assumção
Bibliotecária Simone Maia
Sistema de Bibliotecas Escolares - Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo
Painelista Professor Leandro Lemes do Prado

16:00 - Coffee
16:15 - PAINEL II - Formação de Leitores - Relatos de experiência em cultura e educação na Biblioteca Pública de Sâo Leopoldo
Painelista Bibliotecário Ricardo Maus Affonso

Organização de Bibliotecas Escolares - aspectos técnicos e legais - IFRS e FABICO/UFRGS - Profa. Dra. Lizandra Estabel e Profa. Dranda. Eliane Moro

Atuação do CRB-10 pela melhoria das bibliotecas escolares - Presidente do CRB-10 - Bibliotecária Loiva Teresinha Serafini

17:45 - Debates

DATA - 11/06/2010

LOCAL - Auditório da Biblioteca Pública Municipal - VAGAS LIMITADAS - 100 Lugares

ENDEREÇO - Biblioteca Pública Municipal João Palma da Silva – Canoas/RS
Rua Ipiranga, 105 - Centro - Canoas/RS